A sustentabilidade no manejo de pragas e vetores

Publicado em: 11 de novembro de 2021
Categorias: Gestão e Negócios
manejo de pragas e vetores

Cada vez mais se tem falado em sustentabilidade, como não poderia deixar de ser, já que preservar o planeta é a única forma de garantirmos que as futuras gerações terão um local adequado para viverem. Mas o que a sustentabilidade tem a ver com o manejo de pragas e vetores?

A resposta é: tudo! Para saber mais como este conceito deve andar de mãos dadas com o serviço prestado pelas empresas do ramo de controle de pragas, nós da SIS Controladoras, preparamos um artigo para você. Venha conferir!

O que é sustentabilidade?

De acordo com o Dicionário Michaelis, sustentabilidade nada mais é do que “Qualidade, característica ou condição de sustentável.”

E o que é ser sustentável? Trazemos a definição do conceito de desenvolvimento sustentável informado pela Organização das Nações Unidas (ONU), que dispõe que desenvolvimento sustentável é “aquele que satisfaz as necessidades presentes, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de suprir suas próprias necessidades”

Mas como promover um desenvolvimento sustentável? A ONU tem uma lista com 17 objetivos que, se cumpridos até o ano de 2030, levarão a ele. Entre esses objetivos estão desde educação de qualidade, erradicação da pobreza e igualdade de gênero, até energia limpa e acessível, saúde e bem-estar e consumo e produção responsáveis.

Como o manejo de pragas e vetores pode auxiliar nesse processo?

Para que o desenvolvimento sustentável seja alcançado, é necessário que cada um faça a sua parte, pois apenas desta forma, será possível contribuir efetivamente para a sustentabilidade e para o futuro das gerações que estão por vir.

Qualquer pessoa ou empresa pode ajudar com ações simples como economizar água e energia elétrica, reduzir o uso de papel, diminuir a utilização de combustíveis fósseis, consumir produtos orgânicos, entre outras tantas possibilidades.

Empresas que atuam no manejo de pragas e vetores não só podem, como devem, fazer o que estiver ao seu alcance para contribuir com esse objetivo. Abaixo, listamos algumas maneiras de fazer isso.

Responsabilidade ambiental

Empresas do ramo de manejo de pragas e vetores devem prezar pela responsabilidade ambiental, visto que sem ela, não se pode alcançar a sustentabilidade. Isso quer dizer, por exemplo, que só se deve utilizar o controle químico para eliminação de pragas e vetores, quando realmente for necessário.

Ainda é preciso armazenar os produtos químicos de maneira adequada, seguindo as normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), além de que a controladora de pragas deve ter veículos exclusivos para uso em trabalho, justamente para transportar corretamente esses insumos e não correr riscos de contaminação.

É essencial também lavar e descartar corretamente as embalagens dos agentes químicos utilizados. Todas essas medidas visam impedir que esse tipo de produto entre em contato com rios, nascentes, alimentos ou mesmo com pessoas, plantas e animais, pois são altamente nocivos à saúde.

Controle educacional

A sustentabilidade passa pela educação e o controle educacional é essencial para ensinar as pessoas a respeito de comportamentos sustentáveis em relação às pragas e vetores. O controle educacional é aquele que trabalha com prevenção.

Isso significa que é preciso que empresas de manejo de pragas e vetores disseminem informações sobre como evitar que determinados animais e insetos se tornem uma praga, causando transtornos para a economia e para a saúde. Entre as ações que podem ser tomadas estão, por exemplo, a conscientização da população acerca de como manter os ambientes livres de água parada, evitando infestações de Aedes Aegypt, mosquito responsável por transmitir diversas doenças, entre elas a dengue.

É possível também orientar sobre como armazenar corretamente os alimentos e como acondicionar o lixo da forma certa, evitando infestações de ratos, baratas, formigas, entre outros. Ou ainda sobre como manter o quintal e o jardim limpos, com a grama sempre aparada, o que pode evitar o aparecimento de aranhas e escorpiões.

Controle biológico

O controle biológico é aquele que utiliza outros seres vivos para controlar infestações de pragas e vetores, como por exemplo, predadores, competidores, parasitas ou patógenos. Ele possui o mesmo desempenho alcançado com o controle químico, porém, além de ser uma alternativa muito mais econômica, também é natural, ou seja, sustentável.

Muito utilizado na agricultura, em detrimento de agrotóxicos, garante produtos de qualidade e sem veneno, reduz a poluição ambiental e é capaz de anular ou diminuir consideravelmente a ação das pragas e vetores nas plantas e até no solo.

Estes foram apenas alguns exemplos de como é possível aliar o manejo de pragas à busca por um desenvolvimento sustentável, contribuindo assim, para um ambiente mais saudável para vivermos. Nunca é demais ressaltar que se todos fizerem a sua parte, conseguiremos um mundo melhor.