Manejo de pragas em condomínios

manejo de pragas

Você que mora ou trabalha em um condomínio, seja ele horizontal ou vertical, sabe a importância de realizar periodicamente o manejo de pragas urbanas?

Pois bem, o manejo de pragas em condomínios é essencial, afinal de contas, ninguém quer se deparar com qualquer tipo de infestação, seja em ambientes residenciais ou empresariais, seja em áreas de uso comum, não é mesmo?

Os vetores urbanos, além de causarem inúmeros transtornos, ainda acarretam diversos riscos para a saúde, principalmente em se tratando de pragas transmissoras de doenças como os ratos e as baratas, ou de animais peçonhentos, como os escorpiões e as aranhas.

Por isso, é indispensável que a administração do seu condomínio esteja sempre em dia com a desinsetização dos espaços. E este tipo de serviço deve ser prestado por uma empresa especializada, sem exceções.

Como funciona o manejo de pragas em condomínios?

Conforme falamos acima, é essencial que uma empresa qualificada realize o controle de pragas em condomínios residenciais e empresariais. Isso porque este trabalho deve ser efetuado periodicamente, com acompanhamento e monitoramento constantes dos ambientes e das medidas de controle tomadas, garantindo assim a eficácia do serviço realizado.

Além disso, muitas vezes é preciso que haja a utilização de produtos químicos, que devem ser manuseados apenas por empresas capacitadas e detentoras de todos os alvarás e licenças necessários para efetuar esse tipo de serviço.

Existem ainda algumas medidas indispensáveis que uma controladora de pragas e vetores urbanos deve tomar em relação aos controles em condomínios:

  1. Análise inicial: é preciso fazer uma varredura completa de todos os espaços comuns, listando possíveis pontos de entrada e de proliferação das pragas, verificando se já há infestações instaladas ou se será necessário apenas um trabalho preventivo e definindo quais as melhores formas de controle a serem adotadas em cada caso concreto.
  2. Organização: após a análise inicial, é preciso organizar um plano de ação para efetuar o manejo das pragas, preferencialmente utilizando-se do manejo integrado, que combina dois ou mais tipos de controle, promovendo mais eficiência na prevenção e/ou eliminação de focos de infestações.
  3. Execução: como condomínios são locais de grande circulação de pessoas e, muitas vezes, também de animais domésticos, é indispensável que a execução do manejo de pragas seja efetuada de maneira a não trazer riscos para a saúde daqueles que utilizam esses espaços. Ter um cronograma claro e de fácil acesso para quem mora/visita/trabalha nesses lugares é altamente recomendado, assim todos estarão cientes dos procedimentos realizados, bem como de suas datas, horários e formas de execução.
  4. Monitoramento pós-controle: depois de realizado o manejo das pragas é preciso monitorar se as ações tomadas se mostraram eficazes. Em caso positivo, existe a necessidade de repeti-las periodicamente e, em caso negativo, é preciso revê-las e tomar outras medidas, que por sua vez, também devem ser monitoradas posteriormente, sempre em um processo cíclico.

Existe uma lei que obriga a desinsetização periodicamente?

Em âmbito nacional não existe uma lei federal que regulamente ou obrigue a desinsetização de condomínios, sejam eles comerciais ou residenciais. Porém, existem estados e municípios com suas próprias legislações a este respeito, embora também haja lugares sem nenhum tipo de regulamentação.

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) recomenda que condomínios realizem o controle de pragas mensalmente, porém, a maioria deles efetua o procedimento de forma trimestral ou semestral. Esperar mais do que seus meses entre um manejo de pragas e outro não é recomendável, pois, após esse período, há grandes chances de os vetores já terem se reproduzido.

Muitas vezes, por não haver legislação específica, cabe à administração ou ao síndico dos condomínios determinar a regularidade da desinsetização, o que pode variar, por exemplo, de acordo com o porte do condomínio, com a quantidade de pessoas e animais domésticos circulando por ele, com sua localização (locais próximos a terrenos baldios, fundos de vale, áreas de matas, entre outros, demandam procedimentos menos espaçados).

Para determinar a periodicidade ideal, é preciso contratar uma controladora de pragas especializada. É indispensável que seja checado se a empresa possui todos os alvarás e licenças exigidos, se conta com responsável técnico, se possui registro no respectivo órgão de classe, se tem sede e veículos próprios e de uso exclusivo da empresa.

Como o software da SIS Controladoras pode auxiliar sua empresa?

Caso você possua uma controladora de pragas e queira prestar seus serviços a condomínios, o software da SIS Controladoras pode ajudar, pois ele é uma solução completa de gerenciamento.

Em se tratando de condomínios, muitos deles optam por contratar serviços anuais, buscando descontos e melhores oportunidades, além de garantir dessa forma um serviço periódico de prevenção, execução e manutenção.

Com o nosso sistema, sua empresa poderá atender a esses condomínios de forma eficiente, pois ele permite, por exemplo, agendar serviços na periodicidade correta, consultar o histórico dos clientes, gerenciar estoque de produtos, executar o gerenciamento das mais diversas áreas da sua controladora, como a administrativa e a financeira, entre tantas outras funcionalidades disponibilizadas

Ficou interessado? Clique aqui e teste nosso software de forma totalmente gratuita por 30 dias.