Prevenção no Controle de Pragas: conheça a prática dos 4 A’s

Publicado em: 23 de junho de 2020
Categorias: Sem categoria
prática dos 4 A’s

Manter um controle de pragas eficiente significa estar sempre atendo às práticas e cuidados necessários para evitar infestação. Seja em residências, estabelecimentos comerciais, em jardins ou qualquer outro lugar, há algumas medidas de prevenção simples que podem evitar a presença de pragas urbanas. A prática dos 4 A’s são os principais fatores que propiciam a proliferação de pragas urbanas: água, alimento, abrigo e acesso.

Vamos abordar cada um desses tópicos neste artigo, além dos benefícios de tratar o controle de pragas como prevenção e não apenas quando o problema está urgente. 

Por isso, é importante não só oferecer esse tipo de serviço de prevenção aos seus clientes, como informá-los sobre a importância de manter essas práticas. 

Água

O primeiro item da prática dos 4 A’s é o acúmulo de água que pode ser o cenário perfeito para o surgimento de mosquitos transmissores de doenças que já são uma epidemia no Brasil. O Aedes aegypti, por exemplo, é vetor da dengue, chikungunya e febre amarela. 

Deixar uma quantidade de líquido parada, principalmente em ambientes abertos, favorece o desenvolvimento das larvas desses insetos, aumentando a quantidade dos mosquitos e, consequentemente, a quantidade de pessoas infectadas pelas doenças. Essa situação também acaba fornecendo água para outras pragas como ratos, pombos e morcegos. 

O que fazer para amenizar o problema:

  • Água parada: situação muito recorrente em pátios e jardins em época de chuva. Muitas vezes, objetos como potes, pneus, garrafas e vasos acabam acumulando água em que percebamos. O ideal é não só esvaziar esses objetos, como posicioná-los de uma forma que não acumulem água;
  • Caixas d’água: a recomendação da ANVISA é de que caixas d’água passem por um processo de higienização a cada seis meses e que o recipiente fique completamente tampado; 
  • Calhas e piscinas: também são lugares de revisão frequente. Remova as folhas que estejam impedindo o escoamento de água e cubra a área da piscina quando não estiver sendo usada. 

Alimento

Esse é um fator para o qual donos de bares, restaurantes e demais estabelecimentos do ramo alimentício devem ter atenção redobrada e realizar o controle de pragas com maior frequência. 

Os restos de alimentos e embalagens descartados de forma incorreta podem facilmente atrair ratos, baratas, moscas e outras pragas em grandes proporções. 

Os locais que mais atraem as pragas e devem ser monitorados: 

  • Lixo: o foco deve ser em manejar e descartar corretamente os resíduos. Aqui dois hábitos são importantes, primeiro o de limpar o local com frequência, evitando o acúmulo de detritos, e também a remoção diária do lixo, em sacos fechados dentro da lata;
  • Caixas de gordura: recipientes muito propícios a pragas devem ser limpos a cada 15 dias ou 3 meses, dependendo do ritmo da cozinha, e estar sempre bem tampados;
  • Eletrodomésticos: fogão, geladeira, microondas e os demais aparelhos devem receber limpeza frequente, pois podem estar sempre armazenando qualquer resto de alimento;
  • Em casa: os cuidados nas residências são para não guardar comida estragada ou deixar restos de alimentos pelo chão, embaixo de móveis ou em áreas externas. Sempre jogue o lixo na lata, utilizando sacos, e mantenha as sobras de alimento na geladeira. 

Abrigo

Gavetas, armários, espaços entre aparelhos domésticos e as paredes são locais que podem servir de abrigo para pragas urbanas. Escorpiões, baratas e ratos podem encontrar nesses locais escuros um espaço perfeito para viver e até mesmo reproduzir. 

Sem contar que os móveis de madeira também podem atrair uma infestação de cupins. Para garantir que a casa não seja um local propício para as pragas, separamos algumas dicas:

  • Limpeza: o essencial para evitar o surgimento das pragas é manter os ambientes limpos, arejados e monitorados. O foco principal deve ser nos armários, verificando gavetas utilizadas com pouca frequência;
  • Entre parede e móvel: o mesmo cuidado vale para os espaçamentos deixados pelos móveis de todos os cômodos; 
  • Outros espaços propícios: em estabelecimentos, o acúmulo de embalagens de plástico, papelão ou madeira também pode favorecer o surgimento das pragas;
  • Buracos: aberturas, orifícios e frestas em paredes, chão ou teto devem ter uma atenção especial. O certo é lidar com esses problemas o quanto antes, para não criar a casa perfeita para as pragas. 

Acesso

Por fim, o último item da prática dos 4 A’s é o acesso. Devemos ter atenção às vias de acessos dessas pragas, como frestas de janelas, portas, telhado e redes de esgoto. São por esses caminhos que as elas geralmente entram do ambiente externo para dentro de uma casa ou estabelecimento. 

As principais dicas para os acessos são:

  • Frestas: tão importante quanto ajustar portas e janelas aos batentes, é estar atento à espaçamentos em telhados, calhas e exaustores. Tampas de rede de esgoto também devem estar sempre ajustadas;
  • Forro: locais forrados devem estar bem vedados para impedir o acesso à parte interna e uma limpeza periódica deve ser feita no local;
  • Nos mínimos espaços: lembre-se que as pragas urbanas podem encontrar acessos até nos menores locais, como ralos, interruptores de luz ou saídas de telefone. 

As Controladoras de Pragas são responsáveis pela dedetização, mas manter o controle desses locais e, principalmente, passar as orientações para seus clientes, faz com que a prevenção do controle dure mais tempo. 

Realizar seu trabalho e oferecer auxílio para identificar os possíveis pontos que podem favorecer a proliferação de pragas na residência ou estabelecimento do seu cliente pode ser um ótimo diferencial! 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *